23 de mai de 2009

Na revista Caras..

Não é de autoria minha, copiei esse trecho daquela parte que fala de relacionamentos na Caras, porque achei muito bom..
A revista é do dia 15.05.

"Mas os encontros da atualidade, foram, de forma geral, liberados de quase todos os rituais solenes de outrora, do valor sagrado da união, e quase banalizados por um tempo que é capaz de esvaziar de sentido até o milagre da sintonia. Na correria dos tempos modernos e do fast-food, na luta árdua pela sobrevivência material, nem sempre os pombinhos têm paciência com os demorados trâmites do amor. Afinal, a pulsão urge, o tempo pulsa, a falta aumenta e a solidão assusta. Há um convite invisível e anônimo à pressa. Os encontros ocorrem como num passe de mágica, como se Deus soubesse o que estava faltando e se incubisse de providenciar - (..) É verdade que muitos amores começam mesmo por acaso, crescem a partir de tramas superficiais, se eternizam quando menos se espera." Depois ele retoma o que tinha dito no começo: o amor é exceção.

Se hoje o amor é exceção, quanto tempo temos até que ele fique em extinção, e em seguida, torne-se uma lembrança?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...