15 de mai de 2009

Porta fechada, faxina geral.

"Tomei coragem.
Finalmente resolvi trancar a porta, amarrei os cabelos, coloquei aquela roupa velha, e comecei a limpar minha casa.
Realmente, tem muita coisa pra limpar.
O tapete precisou ser lavado, relavado, e ainda continua com algumas manchas de sujeiras anteriores. Aprendi que não se deve deixar a sujeira acumular por muito tempo. Melhor resolver logo, do que adiar e depois carregar as manchas..
Se bem que, mesmo que as manchas saiam, as lembranças não sairão. Mas pelo menos fica mais difícil de lembrar delas sem o estímulo visual correspondente!
Mas eu continuo limpando..
às vezes, alguém toca a campainha. Nessas horas, eu preciso parar tudo, tomar banho, trocar de roupa, e dar um pause na limpeza. Algumas vezes eu saio pra rua pra espairecer, mas já me acostumei a conviver com a ideia de que não adianta fugir de algo do qual não se pode fugir.
As lembranças são minhas, a vida é minha, a realidade é toda e exclusivamente direcionada a mim, não posso esquecer disso por muito tempo.
Mas às vezes as sujeiras se encontram nos lugares mais inesperados. De vez em quando, o susto é tão grande que me deixa sem reação. Mas nada que uma respiração mais lenta e uma distração não resolvam. Tem que resolver.
Na verdade, acho que não podemos viver sem essa limpeza costante. Limpar o velho pra deixar que o novo entre..
E não é somente tirar o sujo. Tem que arrumar e deixar pronto pra que o vento passe, a luz bata, e novas energias se espalhem!
De certa forma, você retira o que você já conhece e deixa espaço pro que não conhece.
Talvez o que me tenha feito adiar algumas vezes essa reorganização tenha sido isso.
Retirar o conhecido pode ser difícil, mas mais difícil ainda é arrumar a casa para uma visita que você não conhece, e para objetos e pessoas amorfas que você só pode imaginar..
É um desafio e tanto. E tudo isso, essa atitude, essa disposição, você precisa fazer por si só, e de coração aberto. Não adianta chamar um outro alguém, porque existem certas sujeiras, na sua casa, que só você conhece, sabe onde se encontram e como limpá-las.
É impossível e surreal tentar fugir de si mesmo. Da mesma forma que é ilusão deixar pra depois ou pra outros a limpeza da sua casa.

No final das contas, você é a sua casa, e a sua casa é um reflexo de você.. "




Ass: Eu, voltando de uma longa caminhada fora de casa.
Beatrice Cartiller

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...